07/04/2006

agonias adolescentes

Um oitavo

 

Cadências de fisicas antigas

musicas de azuis balastros

essências de rôtas madrastas

terras fétidas e putrefactas

ai menino nasceste aqui

 

planeta d’historias fàceis

plantado vertical no angulo da vida

O homem nasceu mulher de guerras sangrentas

instalado nos meandros abertos das veias

esvaziadas de passados medronhos

 

Ai menino, nasceste homem aqui

nos mares do ventre materno

inchado de prazeres gesteiros

numa desordem de lençois abertos e sensuais

suados de tanto perder batalhas

(alcaçer-kibirs duma infância alerta

com sabôr a waterlos de miséria)

 

Ai menino, batràquio e moço

naufragado duma epopeia parida

à deriva de mão em mães

cansado de tanta viagem

no porto da despedida

marinheiro menino e marco

 

O homem nasceu sereno

surpreso de tanta adoração

no silêncio quebrado do instante

rompido pelo grito milenàrio

desafinado da vida e da morte.

 

Bruxelles, 4/1984

09:21 Écrit par Joz | Lien permanent | Commentaires (0) |  Facebook |

Les commentaires sont fermés.